Educação a Distância: Tendência do Ensino Atual

Conteúdo

Educação a Distância: Tendência do Ensino Atual

Smartalk
Escrito por Smartalk em 8 de abril de 2020
FAÇA PARTE DA NOSSA ACADEMIA

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Apontada como a principal tendência de ensino atual, a educação a distância promete inovar a aprendizagem, mudando a forma como as pessoas de todo o mundo adquirirem conhecimento.

Sabemos que por si só a educação já é revolucionária, pois é capaz de transformar de forma significativa o mundo de quem busca o conhecimento.

Ela abre portas e muda a maneira como as pessoas enxergam a si mesmas e à realidade a sua volta, modificando perspectivas, quebrando tabus e desconstruindo preconceitos.

Como surgiu o ensino a distância?

O conceito de EAD não é algo extremamente recente. Estima-se que a ideia tenha surgido há mais de um século, mas bem diferente de como vemos hoje.

Desde o século XIX, universidades nos Estados Unidos ofereciam cursos de idiomas por meio de correspondência de material impresso, o que já poderia ser chamado de EAD.

No século XX, com as transmissões via rádio e a invenção do vídeo, o ensino a distância pôde ir mais longe alcançando um número maior de pessoas e abrangendo outras áreas de conhecimento.

Mas o grande salto da modalidade chegou mesmo com a invenção e popularização da Internet. A rede internacional de computadores permitiu que ainda mais tipos de mídias fossem incluídas no processo educacional, enriquecendo e reinventando a maneira de ensinar.

O governo brasileiro já aposta bastante na educação a distância e inclusive a modalidade já é regularizada no país pelo artigo 80 da Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

‘’Art. 1º. Para os fins deste Decreto, considera-se educação a distância a modalidade educacional que busca superar limitações de espaço e tempo com a aplicação pedagógica de meios e tecnologias da informação e da comunicação e que, sem excluir atividades presenciais, organiza-se segundo metodologia, gestão e avaliação peculiares.’’

A modalidade se mostra uma ferramenta de mudança muito atuante na sociedade das mais diversas formas. Vamos conferir como!

Forma de ensino mais democrática

“Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”. – Paulo Freire, educador e filósofo

A EAD é uma ferramenta muito poderosa para a democratização da educação, permitindo que muitas pessoas que talvez não teriam acesso ao ensino tradicional tenham esse direito garantido.

Apesar de a maioria das empresas e plataformas de EAD possuírem fins lucrativos, é inegável o fato de que os cursos online são bem mais acessíveis do que os tradicionais. Isso ajuda a elevar o grau de escolaridade da população brasileira.

Um fato que evidencia o caráter inclusivo da educação não-presencial é a média de idade mais elevada dos alunos, nas faixas de 26 a 30 anos e de 31 a 40 anos.

Segundo o Censo EAD, são “trabalhadores que estudam”, dividindo seu tempo de estudo com outras atividades. EAD oferece flexibilidade para que essas pessoas possam voltar a estudar.

O tempo e o dinheiro gastos com o deslocamento para comparecer aos compromissos da educação presencial são minimizados.

O estudo e as tarefas podem ser feitos no conforto do lar ou quando a disponibilidade de cada um permitir.

Mas é importante ressaltar que, apesar da maior flexibilidade e autonomia dos alunos, a EAD precisa ser levada à sério. O tipo de ensino exige tanta dedicação quanto o presencial.

Um outro ponto muito relevante, socialmente falando, é a capacidade do ensino à distância, combinado às tecnologias, superarem as barreiras geográficas.

Com a maioria das instituições de ensino presenciais concentradas em grandes cidades e, mais especificamente nas regiões sul e sudeste do país, com o EAD pessoas de localizações mais remotas passam a ter mais chances de garantir a educação e/ou capacitação profissional.

Pessoas de comunidades mais afastadas, como as rurais, indígenas e quilombolas, por exemplo, passam a ter melhores oportunidades de acessar os mais diversos tipos de cursos, aumentando as chances de se equiparar ao resto da sociedade.

Basta ter acesso à internet, uma realidade cada vez mais próxima de todos.

Ainda nesse âmbito, o intercâmbio cultural é cada vez mais favorecido. É possível se conectar e trocar experiências com pessoas do mundo inteiro. Isso torna a experiência muito mais enriquecedora.

Multinacionais que querem oferecer treinamentos em suas filiais espalhadas pelo mundo passam a ter muito mais facilidade de transmitir seus valores e educação corporativa via plataformas online de forma padronizada. 

Versatilidade da metodologia

A EAD permite que as mais variadas formas de mídia sejam empregadas. Material impresso, rádio, TV, computador, powerpoints, gráficos, fotos, vídeo-aulas, games, fóruns de discussão mediados e muito mais! Os alunos tendem a se sentir muito mais estimulados e motivados a aprender.

Não é de se surpreender que mesmo instituições de ensino presencial e tradicionais têm se inspirado nos métodos da EAD e adotado vários de seus recursos para inovar a aprendizagem.

A metodologia não-presencial ajudou a abrir os olhos daqueles que ainda não tinham percebido que os velhos moldes e padrões de ensino engessados no tempo já não são o suficiente e que a educação precisa caminhar acompanhando as mudanças do mundo e da sociedade.

Na educação corporativa, por exemplo, as trilhas de aprendizagem podem ser utilizadas como uma estratégia inovadora de treinamento e desenvolvimento profissional.

Elas permitem que o funcionário tenha a livre responsabilidade de escolher os caminhos de de ações de ensino e experiências pelos quais pode alcançar o aprendizado de acordo com seu perfil.

Esses percursos podem ser feitos através de cursos EAD para empresas com videoaulas, videoconferências, calls, webinars, fóruns de discussão, recomendação de site e blogs, palestras online, livros e apostilas disponibilizados na web, etc.

Educação e tecnologia lado a lado

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), já apontou que em 2016 57,5% da população com 10 anos ou mais já tinham acesso à internet no país. Ainda falta muito chão para que a internet alcance todos os brasileiros, mas o número já é considerável e só deve aumentar.

A difusão de aparelhos como smartphones, tablets, computadores portáteis, etc, permite que os alunos tenham acesso aos materiais dos cursos em qualquer lugar e a qualquer hora. A criação de softwares e aplicativos tem facilitado ainda mais esse acesso e otimizado a experiência de aprendizado

Em entrevista concedida à revista Veja, o especialista em educação Christopher Dede, professor e pesquisador da Faculdade de Educação da Universidade Harvard comentou como a tecnologia é uma ferramenta que propicia mudança no modo de ensino.

Mas que para ser bem sucedida precisa ser muito bem pensada e planejada.

“Existem muitas evidências de que, quando a tecnologia é usada de maneira efetiva, ou seja, quando é identificado um propósito e estruturado um projeto para atingi-lo, ela pode melhorar o processo de ensino e aprendizagem. Isso porque a escola se torna mais atrativa para o aluno.

Tudo indica que a realidade virtual é a grande tendência tecnológica e a aposta mais recente da educação a distância. O uso de certos dispositivos permite que informações e conteúdo sejam representados e reproduzidos em 3D.

Isso abre um mundo inteiro de possibilidades para a pedagogia EAD, além de transformar a experiência de aprendizado muito mais interessante e interativa, aumentando o engajamento de quem se dispõe a aprender.

Nos treinamentos profissionais, por exemplo, os alunos poderão ser expostos a situações e cenas que simulem as práticas exigidas na prática do trabalho. As experiências ainda podem ser repetidas de acordo com a necessidade e disponibilidade de cada um.

A realidade virtual aumenta consideravelmente o envolvimento do aluno, que se torna muito mais engajado e interessado no treinamento.

Economia

A educação a distância continuou tendo um crescimento significativo, apesar da crise que acometeu os país nos últimos anos. Em 2016 a o ensino à distância já correspondia 26% de toda a educação superior do Brasil e a tendência é que esse número só aumente.

A partir de dado coletados pela Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed) para o Censo EAD 2016 constatou-se que o número de matrículas em cursos a distância de graduação, foi de quase 50 mil alunos inscritos em 2003 para mais de 1,3 milhão em 2016.

Se a EAD é capaz de aquecer a economia mesmo em momentos de crise, isso é sinal de que é um tipo de negócio muito promissor para ser investido.

Apresentamos aqui os principais aspectos sob o quais a educação à distância é capaz de revolucionar a aprendizagem. A metodologia não é sucessora da educação presencial, mas pode ser considerada uma alternativa e um complemento em diversos pontos.

Seja nos níveis social, econômico, tecnológico ou pedagógico, a EAD é uma realidade que veio para ficar e poderá fornecer bons frutos para a realidade e evolução do nosso país. É importante não ignorar esse fatos e pensar na EAD como uma aliada para o futuro.

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

FAÇA PARTE DA NOSSA ACADEMIA